Mulher assimétrica é um relato autobiográfico construído pelos recursos da ficção e da memória. Maria Luiza Corrêa narra desde a infância, passada em Araxá, e a juventude no Rio de Janeiro, até o momento atual, em que, depois de 20 anos como professora da FAU-USP, projetou e construiu uma casa para si própria e se lançou como poeta.

A marca mais distintiva da protagonista, que no relato se chama Cláudia, é a assimetria: uma perna mais curta que a outra, dois úteros, duas campainhas e três rins. Essas assimetrias também se refletem no comportamento da personagem, que conta suas incursões amorosas, as hesitações profissionais e o equilíbrio instável entre arte e palavra. Neste livro, tudo é narrado em detalhe, num estilo lacunar, que insinua e disfarça, com uma ironia que intriga e estimula a imaginação, ou como diz Joca Reiners Terron, na orelha do livro, com um humor “absurdista”.

A narrativa é dividida em dezessete capítulos que levam os nomes da cidade e dos lugares onde a autora viveu: São Paulo, Araxá, Belém, Rio de Janeiro, Pirassununga e Belo Horizonte. O final do livro culmina em Portugal, em uma viagem que a autora fez em companhia da irmã, com um estilo que se aproxima do lírico, fechando essas memórias que continuam em aberto.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
Mulher Assimétrica
Autora: Maria Luiza Correa
Editora: Quelônio 
ISBN: 978-85-93229-63-3
Idioma: Português
Altura: 21 cm
Largura: 14 cm 
Edição: 1ª
Ano de Lançamento: 2020
Número de páginas: 128

Clique neste link para conhecer o prazo de entrega e outros detalhes da Banca Tatuí.

Mulher assimétrica

R$42,00
Mulher assimétrica R$42,00
Entregas para o CEP:

Meios de envio

  • Sala Tatuí Por causa da pandemia do coronavírus, a Banca Tatuí está fechada. De toda forma, pedidos podem ser retirados na Sala Tatuí, que fica em frente à Banca Tatuí, na Santa Cecília. O horário para retirada será combinado por telefone. A equipe Tatuí entrará em contato!

    Grátis

Mulher assimétrica é um relato autobiográfico construído pelos recursos da ficção e da memória. Maria Luiza Corrêa narra desde a infância, passada em Araxá, e a juventude no Rio de Janeiro, até o momento atual, em que, depois de 20 anos como professora da FAU-USP, projetou e construiu uma casa para si própria e se lançou como poeta.

A marca mais distintiva da protagonista, que no relato se chama Cláudia, é a assimetria: uma perna mais curta que a outra, dois úteros, duas campainhas e três rins. Essas assimetrias também se refletem no comportamento da personagem, que conta suas incursões amorosas, as hesitações profissionais e o equilíbrio instável entre arte e palavra. Neste livro, tudo é narrado em detalhe, num estilo lacunar, que insinua e disfarça, com uma ironia que intriga e estimula a imaginação, ou como diz Joca Reiners Terron, na orelha do livro, com um humor “absurdista”.

A narrativa é dividida em dezessete capítulos que levam os nomes da cidade e dos lugares onde a autora viveu: São Paulo, Araxá, Belém, Rio de Janeiro, Pirassununga e Belo Horizonte. O final do livro culmina em Portugal, em uma viagem que a autora fez em companhia da irmã, com um estilo que se aproxima do lírico, fechando essas memórias que continuam em aberto.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
Mulher Assimétrica
Autora: Maria Luiza Correa
Editora: Quelônio 
ISBN: 978-85-93229-63-3
Idioma: Português
Altura: 21 cm
Largura: 14 cm 
Edição: 1ª
Ano de Lançamento: 2020
Número de páginas: 128

Clique neste link para conhecer o prazo de entrega e outros detalhes da Banca Tatuí.