No livro de Hernán Borisonik encontramos a estetização vandálica da moeda como uma via de acesso para o estudo de algo maior, que continua o caminho traçado por Walter Benjamin em Capitalismo como religião: “Inicialmente, haveria que investigar metodicamente os vínculos que desde sempre o dinheiro estabeleceu com o mito ao longo da história, até que haja extraído do cristianismo elementos míticos suficientes para constituir o seu próprio mito”.

Em sua imersão na imaginação materialista, Borisonik expõe a urgência de retomar o caminho crítico e a especulação filosófico-conceitual. Ele encontra na arte a possibilidade de restituir ao pensamento os grandes assuntos que por causa de tabus, desídia ou languidez fugiram das conversas cotidianas. Borisonik interpela o sistema de crenças dominante e propõe como antidoto à fé econômica, uma iconoclastia radical para o século XXI.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
$uporte: o uso do dinheiro nas artes visuais
Autor: Hernán Borisonik
Editora: Cultura e Barbárie
Idioma: Português 
Altura: 21 cm
Largura: 14 cm
Ano de lançamento: 2019 
Número de páginas: 126 

Clique neste link para conhecer o prazo de entrega e outros detalhes da Banca Tatuí.

$uporte: o uso do dinheiro nas artes visuais

R$48,00
$uporte: o uso do dinheiro nas artes visuais R$48,00
Entregas para o CEP:

Meios de envio

  • Sala Tatuí Por causa da pandemia do coronavírus, a Banca Tatuí está fechada. De toda forma, pedidos podem ser retirados na Sala Tatuí, que fica em frente à Banca Tatuí, na Santa Cecília, de segunda a sexta-feira. Após a confirmação do pagamento, aguarde nosso contato.

    Grátis

No livro de Hernán Borisonik encontramos a estetização vandálica da moeda como uma via de acesso para o estudo de algo maior, que continua o caminho traçado por Walter Benjamin em Capitalismo como religião: “Inicialmente, haveria que investigar metodicamente os vínculos que desde sempre o dinheiro estabeleceu com o mito ao longo da história, até que haja extraído do cristianismo elementos míticos suficientes para constituir o seu próprio mito”.

Em sua imersão na imaginação materialista, Borisonik expõe a urgência de retomar o caminho crítico e a especulação filosófico-conceitual. Ele encontra na arte a possibilidade de restituir ao pensamento os grandes assuntos que por causa de tabus, desídia ou languidez fugiram das conversas cotidianas. Borisonik interpela o sistema de crenças dominante e propõe como antidoto à fé econômica, uma iconoclastia radical para o século XXI.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
$uporte: o uso do dinheiro nas artes visuais
Autor: Hernán Borisonik
Editora: Cultura e Barbárie
Idioma: Português 
Altura: 21 cm
Largura: 14 cm
Ano de lançamento: 2019 
Número de páginas: 126 

Clique neste link para conhecer o prazo de entrega e outros detalhes da Banca Tatuí.