Jamanta na testa, volume de estreia de Maíra Mendes Galvão, apresenta uma poética que busca a experimentação com as línguas e com a linguagem. Os 27 poemas que compõem o livro foram escritos entre 2013 e 2016. 

Os poemas investigam a sonoridade das palavras, a semântica recôndita dos vocábulos e uma topografia que se transpõe para os poemas. Além da experimentação vocabular, a disposição espacial dos poemas em colunas e a extensão dos versos exploram a relação entre a palavra e o branco da página.

A poesia da autora lança mão de “palavras multiportantes”: deslocamentos, colagens e neologismos que parecem buscar “o grau primeiro das coisas” (como diz o poema “Ersatzspielerin”). Tradutora, a poeta traz para a língua portuguesa uma mistura de línguas e de linguagens que tornam únicos o idioma e a sonoridade de sua poesia.

Os versos também carregam na ironia e em imagens apocalípticas ou visionárias, como em “A hecatombe simpática”: “o mundo remanesce / coreografa-se / circadiano: / cidadela em que as ruas se descortinam não entre casas mas pequenas fortalezas: / o mundo encouraçado”.

Alguns poemas foram escritos em Alto Paraíso de Goiás e em Brasília, cidade natal da autora. Neles, nota-se a observação e o registro da paisagem serem transpostos e transfigurados em poemas que destacam, em “Cristalografia” (leia abaixo), elementos fantasmagóricos da natureza do “pretenso planalto”, como o sol ígneo, a cresta e a crosta, o vocovocífero do verde e da petrologia. Outros poemas foram compostos em São Paulo, onde a poeta reside, e no México, criando uma geografia pessoal feita da investigação linguística.

O projeto editorial e o design gráfico da Quelônio valorizam o esquema de composição da autora. O formato do livro, horizontal, com capa dura, foi pensado em função da extensão dos versos e da disposição dos poemas na página. O miolo foi composto em linotipia e a capa impressa a partir de tipos móveis.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
Jamanta na testa
Autora: Maíra Mendes Galvão
Editora: Quelônio
ISBN: 978-85-93229-48-0
Idioma: português
Altura: 15 cm
Largura: 22 cm
Edição: 1ª
Ano de lançamento: 2019
Número de páginas: 46

Clique neste link para conhecer o prazo de entrega e outros detalhes da Banca Tatuí

Jamanta na testa

R$54,00
Jamanta na testa R$54,00
Entregas para o CEP:

Meios de envio

  • Sala Tatuí Por causa da pandemia do coronavírus, a Banca Tatuí está fechada. De toda forma, pedidos podem ser retirados na Sala Tatuí, que fica em frente à Banca Tatuí, na Santa Cecília. O horário para retirada será combinado por telefone. A equipe Tatuí entrará em contato!

    Grátis

Jamanta na testa, volume de estreia de Maíra Mendes Galvão, apresenta uma poética que busca a experimentação com as línguas e com a linguagem. Os 27 poemas que compõem o livro foram escritos entre 2013 e 2016. 

Os poemas investigam a sonoridade das palavras, a semântica recôndita dos vocábulos e uma topografia que se transpõe para os poemas. Além da experimentação vocabular, a disposição espacial dos poemas em colunas e a extensão dos versos exploram a relação entre a palavra e o branco da página.

A poesia da autora lança mão de “palavras multiportantes”: deslocamentos, colagens e neologismos que parecem buscar “o grau primeiro das coisas” (como diz o poema “Ersatzspielerin”). Tradutora, a poeta traz para a língua portuguesa uma mistura de línguas e de linguagens que tornam únicos o idioma e a sonoridade de sua poesia.

Os versos também carregam na ironia e em imagens apocalípticas ou visionárias, como em “A hecatombe simpática”: “o mundo remanesce / coreografa-se / circadiano: / cidadela em que as ruas se descortinam não entre casas mas pequenas fortalezas: / o mundo encouraçado”.

Alguns poemas foram escritos em Alto Paraíso de Goiás e em Brasília, cidade natal da autora. Neles, nota-se a observação e o registro da paisagem serem transpostos e transfigurados em poemas que destacam, em “Cristalografia” (leia abaixo), elementos fantasmagóricos da natureza do “pretenso planalto”, como o sol ígneo, a cresta e a crosta, o vocovocífero do verde e da petrologia. Outros poemas foram compostos em São Paulo, onde a poeta reside, e no México, criando uma geografia pessoal feita da investigação linguística.

O projeto editorial e o design gráfico da Quelônio valorizam o esquema de composição da autora. O formato do livro, horizontal, com capa dura, foi pensado em função da extensão dos versos e da disposição dos poemas na página. O miolo foi composto em linotipia e a capa impressa a partir de tipos móveis.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
Jamanta na testa
Autora: Maíra Mendes Galvão
Editora: Quelônio
ISBN: 978-85-93229-48-0
Idioma: português
Altura: 15 cm
Largura: 22 cm
Edição: 1ª
Ano de lançamento: 2019
Número de páginas: 46

Clique neste link para conhecer o prazo de entrega e outros detalhes da Banca Tatuí