Lucia Forghieri reúne poemas sobre as relações entre a mãe e o bebê, sobre as contradições de ser mãe, sobre a maneira como o ambiente interfere na tarefa da maternidade, sobre a condição feminina fortemente impactada pela presença de um outro radical — o filho ou os filhos.

Flor de asfalto traz poemas que investigam a condição feminina e a vida na cidade, por meio de uma linguagem situada entre a prosa e a poesia, capaz de dar conta dessas experiências intensas e contraditórias. Como diz um trecho do poema que abre o volume: “O único anagrama possível de parto é rapto/ mas até que seja tarde podemos ficar com optar”.

O título alude ao conhecido poema “A flor e a náusea”, de Carlos Drummond de Andrade, e confere ao livro e aos poemas a conjugação de beleza e aspereza. Nos versos da autora, encontram-se e reinventam-se os temas da maternidade, do parto e do espaço urbano. O ritmo e os estímulos urbanos atravessam o cotidiano e invadem a vida íntima; a realidade contemporânea e as diferenças sociais permeiam a rotina e delineiam subjetividades.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
Flor de asfalto
Autora: Lucia Forghieri
Editora: Quelônio
ISBN: 978-65-87790-04-6
Idioma: Português
Altura: 20 cm
Largura: 12 cm
Edição: 1ª
Ano de lançamento: 2020
Número de páginas: 72

Clique neste link para conhecer o prazo de entrega e outros detalhes da Banca Tatuí.

Flor de asfalto

R$38,00
Flor de asfalto R$38,00
Entregas para o CEP:

Meios de envio

  • Sala Tatuí Por causa da pandemia do coronavírus, a Banca Tatuí está fechada. De toda forma, pedidos podem ser retirados na Sala Tatuí, que fica em frente à Banca Tatuí, na Santa Cecília, de segunda a sexta-feira. Após a confirmação do pagamento, aguarde nosso contato.

    Grátis

Lucia Forghieri reúne poemas sobre as relações entre a mãe e o bebê, sobre as contradições de ser mãe, sobre a maneira como o ambiente interfere na tarefa da maternidade, sobre a condição feminina fortemente impactada pela presença de um outro radical — o filho ou os filhos.

Flor de asfalto traz poemas que investigam a condição feminina e a vida na cidade, por meio de uma linguagem situada entre a prosa e a poesia, capaz de dar conta dessas experiências intensas e contraditórias. Como diz um trecho do poema que abre o volume: “O único anagrama possível de parto é rapto/ mas até que seja tarde podemos ficar com optar”.

O título alude ao conhecido poema “A flor e a náusea”, de Carlos Drummond de Andrade, e confere ao livro e aos poemas a conjugação de beleza e aspereza. Nos versos da autora, encontram-se e reinventam-se os temas da maternidade, do parto e do espaço urbano. O ritmo e os estímulos urbanos atravessam o cotidiano e invadem a vida íntima; a realidade contemporânea e as diferenças sociais permeiam a rotina e delineiam subjetividades.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
Flor de asfalto
Autora: Lucia Forghieri
Editora: Quelônio
ISBN: 978-65-87790-04-6
Idioma: Português
Altura: 20 cm
Largura: 12 cm
Edição: 1ª
Ano de lançamento: 2020
Número de páginas: 72

Clique neste link para conhecer o prazo de entrega e outros detalhes da Banca Tatuí.