Ao adentrar o universo de Lucas Verzola — ou os muitos universos paralelos desse jovem escritor — os leitores se surpreenderão com uma escrita lapidar, mas repleta daquela aspereza de que é feita a vida. As contradições entre clareza e enigma, exterioridade e latência, retidão e vício permeiam as narrativas e aos poucos tragam o leitor para um universo atordoante. 

A sensação de delírio e desordem está na superfície de alguns desses textos: um rapaz vai a uma noitada de bebida e luxúria na zona do meretrício em companhia do próprio pai; um ex-estudante de história passa a ser desafiado no bagha-chall, um jogo de tabuleiro, por um coreano desconhecido; um homem que vive num porão, no centro de São Paulo, descobre um duplo (e se descobre como duplo) no olho mágico de sua porta.
Outros contos adentram o cotidiano modorrento das repartições, dos fóruns, da burocracia jurídica, do inferno kafkiano em que se transformou o cotidiano e as relações, e não apenas dos funcionários, oficiais de justiça e cartorários, mas também da vida familiar, como no conto em que pais e filhos vão à barbearia no sábado de manhã, num ritual cotidiano tingido de mania, tradição, zelo e sentimentos reprimidos. 

Os contos de Lucas Verzola se constroem nesse equilíbrio entre a norma e o desvio, entre a vida ordeira e o evento inesperado, os desejos contidos e as tentações do excesso e da desmedida. A escrita urbana e enigmática que já conhecíamos de seus livros anteriores — influenciada por Roberto Bolaño, João Antônio, Murilo Rubião, Jorge Luis Borges, entre outros autores — retorna nesta nova coleção de narrativas, mas aqui o jogo da ficção parece ter se tornado mais desafiador. 
O conto que dá título ao livro repõe, em termos ainda mais complexos, o mundo das aparências que julgamos compreender, mas cujo sentido nos escapa ou não se completa, a não ser com o movimento final de um jogo, como nesse bagha-chall disputado entre tigres e cabras. No lusco-fusco entre realidade e imaginação, é o leitor, na companhia desses personagens que aparecem e reaparecem em diferentes contos, quem terá de chegar às suas próprias conclusões.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
A última Cabra
Autor: Lucas Verzola 
Editora: Reformatório
ISBN: 978-85-66887-53-2
Idioma: Português
Altura: 19 cm
Largura: 12 cm
Edição: 1ª
Ano de Lançamento: 2019
Número de páginas: 136

Clique neste link para conhecer o prazo de entrega e outros detalhes da Banca Tatuí.

 

A última Cabra

R$35,00
A última Cabra R$35,00
Entregas para o CEP:

Meios de envio

  • Sala Tatuí Por causa da pandemia do coronavírus, a Banca Tatuí está fechada. De toda forma, pedidos podem ser retirados na Sala Tatuí, que fica em frente à Banca Tatuí, na Santa Cecília. O horário para retirada será combinado por telefone. A equipe Tatuí entrará em contato!

    Grátis

Ao adentrar o universo de Lucas Verzola — ou os muitos universos paralelos desse jovem escritor — os leitores se surpreenderão com uma escrita lapidar, mas repleta daquela aspereza de que é feita a vida. As contradições entre clareza e enigma, exterioridade e latência, retidão e vício permeiam as narrativas e aos poucos tragam o leitor para um universo atordoante. 

A sensação de delírio e desordem está na superfície de alguns desses textos: um rapaz vai a uma noitada de bebida e luxúria na zona do meretrício em companhia do próprio pai; um ex-estudante de história passa a ser desafiado no bagha-chall, um jogo de tabuleiro, por um coreano desconhecido; um homem que vive num porão, no centro de São Paulo, descobre um duplo (e se descobre como duplo) no olho mágico de sua porta.
Outros contos adentram o cotidiano modorrento das repartições, dos fóruns, da burocracia jurídica, do inferno kafkiano em que se transformou o cotidiano e as relações, e não apenas dos funcionários, oficiais de justiça e cartorários, mas também da vida familiar, como no conto em que pais e filhos vão à barbearia no sábado de manhã, num ritual cotidiano tingido de mania, tradição, zelo e sentimentos reprimidos. 

Os contos de Lucas Verzola se constroem nesse equilíbrio entre a norma e o desvio, entre a vida ordeira e o evento inesperado, os desejos contidos e as tentações do excesso e da desmedida. A escrita urbana e enigmática que já conhecíamos de seus livros anteriores — influenciada por Roberto Bolaño, João Antônio, Murilo Rubião, Jorge Luis Borges, entre outros autores — retorna nesta nova coleção de narrativas, mas aqui o jogo da ficção parece ter se tornado mais desafiador. 
O conto que dá título ao livro repõe, em termos ainda mais complexos, o mundo das aparências que julgamos compreender, mas cujo sentido nos escapa ou não se completa, a não ser com o movimento final de um jogo, como nesse bagha-chall disputado entre tigres e cabras. No lusco-fusco entre realidade e imaginação, é o leitor, na companhia desses personagens que aparecem e reaparecem em diferentes contos, quem terá de chegar às suas próprias conclusões.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
A última Cabra
Autor: Lucas Verzola 
Editora: Reformatório
ISBN: 978-85-66887-53-2
Idioma: Português
Altura: 19 cm
Largura: 12 cm
Edição: 1ª
Ano de Lançamento: 2019
Número de páginas: 136

Clique neste link para conhecer o prazo de entrega e outros detalhes da Banca Tatuí.