Última peça escrita por Oduvaldo Vianna Filho, "Rasga coração" foi finalizada no ano da morte do autor, em 1974. Obra prima da dramaturgia brasileira, a peça foi censurada e impedida de ser encenada até 1979, quando pôde finalmente ir aos palcos sob direção de José Renato.

Manguari Pistolão, protagonista do drama, é funcionário público e militante do PCB. Casado com Nena, trabalha duro para garantir o futuro de seu filho, Luca, de quem diverge politicamente dadas as posições orientalistas típicas da contracultura da década de 1970, às quais o filho é adepto. O clímax da peça se dá quando Luca, proibido de frequentar a escola de cabelo longo, arma um plano de resistência junto com os colegas e com sua namorada Milena. Manguari, entusiasmado com a luta política do filho, auxilia-o com ideias. De início Luca concorda com o pai, mas, contestado pela namorada, que é a favor da ação direta, acaba por desistir do plano.

O conflito entre pai e filho evoca o passado de Manguari, que, quando jovem, também discordara do pai, Custódio Manhães, um brigadista sanitário alinhado com ideias integralistas. A peça apresenta, entre focos de luzes e músicas de época, dois eixos históricos distintos: passado e presente. Usando a técnica da colagem, Oduvaldo Vianna Filho, rememora mais de setenta anos de história brasileira, passando pela Revolta da Vacina, tenentismo, integralismo, era Vargas, regime militar e contracultura.

Para que pudesse apresentar tamanho panorama histórico, Oduvaldo Vianna Filho pesquisou durante mais de um ano na Biblioteca Nacional. Com ajuda da jornalista Maria Célia Teixeira, registrou manchetes, anúncios, músicas, paródias e piadas, nomes de remédios, provérbios, gírias e expressões e rascunhos de falas de seus personagens. Todo esse rico material foi compilado no "Dossiê de pesquisa", que nesta edição especial em dois volumes, acompanha o livro da peça e dá ao leitor a oportunidade de vasculhar os bastidores de criação do dramaturgo e ver de perto o Brasil a partir da década de 1910.

Premiada em 1974 no Concurso de Dramaturgia Nacional do Serviço Nacional de Teatro, "Rasga coração" proporciona um mergulho no conhecimento do trabalho de Vianna Filho, que é obrigatório para todos os que acreditam que o teatro tem papel importante na história das lutas contra a opressão e a desigualdade.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
Rasga coração - edição especial com Dossiê de pesquisa
Autor: Oduvaldo Vianna Filho
Organizadora: Maria Silvia Betti
Editora: Temporal
ISBN: 978-85-53092-01-7
Idioma: Português
Altura: 19 cm
Largura: 14 cm
Edição: 1ª
Ano de lançamento: 2018 
Número de páginas: 500 

Clique neste link para conhecer o prazo de entrega e outros detalhes da Banca Tatuí

Rasga coração - edição especial com Dossiê de pesquisa

R$65,00
Rasga coração - edição especial com Dossiê de pesquisa R$65,00
Entregas para o CEP:

Meios de envio

  • Sala Tatuí Por causa da pandemia do coronavírus, a Banca Tatuí está fechada. De toda forma, pedidos podem ser retirados na Sala Tatuí, que fica em frente à Banca Tatuí, na Santa Cecília, de segunda a sexta-feira. Após a confirmação do pagamento, aguarde nosso contato.

    Grátis

Última peça escrita por Oduvaldo Vianna Filho, "Rasga coração" foi finalizada no ano da morte do autor, em 1974. Obra prima da dramaturgia brasileira, a peça foi censurada e impedida de ser encenada até 1979, quando pôde finalmente ir aos palcos sob direção de José Renato.

Manguari Pistolão, protagonista do drama, é funcionário público e militante do PCB. Casado com Nena, trabalha duro para garantir o futuro de seu filho, Luca, de quem diverge politicamente dadas as posições orientalistas típicas da contracultura da década de 1970, às quais o filho é adepto. O clímax da peça se dá quando Luca, proibido de frequentar a escola de cabelo longo, arma um plano de resistência junto com os colegas e com sua namorada Milena. Manguari, entusiasmado com a luta política do filho, auxilia-o com ideias. De início Luca concorda com o pai, mas, contestado pela namorada, que é a favor da ação direta, acaba por desistir do plano.

O conflito entre pai e filho evoca o passado de Manguari, que, quando jovem, também discordara do pai, Custódio Manhães, um brigadista sanitário alinhado com ideias integralistas. A peça apresenta, entre focos de luzes e músicas de época, dois eixos históricos distintos: passado e presente. Usando a técnica da colagem, Oduvaldo Vianna Filho, rememora mais de setenta anos de história brasileira, passando pela Revolta da Vacina, tenentismo, integralismo, era Vargas, regime militar e contracultura.

Para que pudesse apresentar tamanho panorama histórico, Oduvaldo Vianna Filho pesquisou durante mais de um ano na Biblioteca Nacional. Com ajuda da jornalista Maria Célia Teixeira, registrou manchetes, anúncios, músicas, paródias e piadas, nomes de remédios, provérbios, gírias e expressões e rascunhos de falas de seus personagens. Todo esse rico material foi compilado no "Dossiê de pesquisa", que nesta edição especial em dois volumes, acompanha o livro da peça e dá ao leitor a oportunidade de vasculhar os bastidores de criação do dramaturgo e ver de perto o Brasil a partir da década de 1910.

Premiada em 1974 no Concurso de Dramaturgia Nacional do Serviço Nacional de Teatro, "Rasga coração" proporciona um mergulho no conhecimento do trabalho de Vianna Filho, que é obrigatório para todos os que acreditam que o teatro tem papel importante na história das lutas contra a opressão e a desigualdade.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
Rasga coração - edição especial com Dossiê de pesquisa
Autor: Oduvaldo Vianna Filho
Organizadora: Maria Silvia Betti
Editora: Temporal
ISBN: 978-85-53092-01-7
Idioma: Português
Altura: 19 cm
Largura: 14 cm
Edição: 1ª
Ano de lançamento: 2018 
Número de páginas: 500 

Clique neste link para conhecer o prazo de entrega e outros detalhes da Banca Tatuí