"No primeiro parágrafo de “Perto do Coração Selvagem” (1943) aparece “uma orelha à escuta, grande, cor-de-rosa e morta”. Em “A hora da estrela” (1977), o narrador diz “[eu] escrevo de ouvido”. Dessas duas frases, nasceu este livro, escrito quando a autora ensinava literatura brasileira na Universidade de Stanford. Publicado em inglês, o livro chega agora, finalmente, de volta à origem de sua língua materna, em tradução de Jamille Pinheiro Dias e Sheyla Miranda.

O livro de Marília Librandi pensa a literatura brasileira pela sua capacidade de escuta e pelas reverberações éticas, estéticas e poéticas do imaginário. Clarice Lispector é lida como ficcionista e como fonte teórica de uma “escrita de ouvido”, de um “romance da escuta”, e de uma “ecopoética”. São esses os termos que Marília elege para falar de um “Perto do Coração Selvagem”, pulsante e pictórico, da voz muda de Macabéa, do tic-tac da máquina de escrever, tratada como pessoa por Clarice, das muitas imagens áudio-uterinas de “Água Viva”, e do Eco de Janair e da vibração do inseto no corpo da escultora G.H, e de uma Clarice-Centaura, autora de textos híbridos entre a filosofia e a ficção."

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
Escrever de ouvido: Clarice Lispector e os romances da escuta
Autor: Marília Librandi
Editora: Relicário 
ISBN: 978-65-86279-20-7
Idioma: Português
Altura: 21 cm
Largura: 14 cm
Edição: 1ª
Ano de lançamento: 2020
Número de páginas: 302

Clique neste link para conhecer o prazo de entrega e outros detalhes da Banca Tatuí.

Escrever de ouvido: Clarice Lispector e os romances da escuta

R$55,00
Escrever de ouvido: Clarice Lispector e os romances da escuta R$55,00
Entregas para o CEP:

Meios de envio

  • Banca Tatuí Rua Barão de Tatuí, 275, São Paulo - aberta de segunda a sábado, das 10h às 19h. Após fechar o pedido, aguarde nosso email confirmando que já pode retirar :)

    Grátis

"No primeiro parágrafo de “Perto do Coração Selvagem” (1943) aparece “uma orelha à escuta, grande, cor-de-rosa e morta”. Em “A hora da estrela” (1977), o narrador diz “[eu] escrevo de ouvido”. Dessas duas frases, nasceu este livro, escrito quando a autora ensinava literatura brasileira na Universidade de Stanford. Publicado em inglês, o livro chega agora, finalmente, de volta à origem de sua língua materna, em tradução de Jamille Pinheiro Dias e Sheyla Miranda.

O livro de Marília Librandi pensa a literatura brasileira pela sua capacidade de escuta e pelas reverberações éticas, estéticas e poéticas do imaginário. Clarice Lispector é lida como ficcionista e como fonte teórica de uma “escrita de ouvido”, de um “romance da escuta”, e de uma “ecopoética”. São esses os termos que Marília elege para falar de um “Perto do Coração Selvagem”, pulsante e pictórico, da voz muda de Macabéa, do tic-tac da máquina de escrever, tratada como pessoa por Clarice, das muitas imagens áudio-uterinas de “Água Viva”, e do Eco de Janair e da vibração do inseto no corpo da escultora G.H, e de uma Clarice-Centaura, autora de textos híbridos entre a filosofia e a ficção."

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
Escrever de ouvido: Clarice Lispector e os romances da escuta
Autor: Marília Librandi
Editora: Relicário 
ISBN: 978-65-86279-20-7
Idioma: Português
Altura: 21 cm
Largura: 14 cm
Edição: 1ª
Ano de lançamento: 2020
Número de páginas: 302

Clique neste link para conhecer o prazo de entrega e outros detalhes da Banca Tatuí.