Quantas pessoas matamos desde que aprendemos o real significado das relações interpessoais? A morte e suas mil e uma faces pode surpreender. Mestre em disfarces, nem sempre caminha ao nosso lado acompanhada de sangue, caixões e cinerários.  

O percurso, que se inicia na carne, passando pela mente e encerrando na alma, uma trajetória de pedras que calejam as plantas dos pés, obrigando-nos a admitir todos aqueles que outrora deixamos para trás. Cada partida, física ou espiritual, despedida, abandono ou descaso social, é uma forma de matar o outro. E quando essas mortes acontecem, engavetamos aquilo que sentimos e lutamos, incansavelmente, para adensar o lixo que preenche os abismos do nosso ser. A morte ocidental, aliás, sugere engavetar pessoas, quando as colocamos em caixões sob a terra... 

Este livro é um convite para lidar com sentimentos encobertos por nossa consciência dualística, que nos separa em bons e maus, deixando de lado as convergências responsáveis por nossa complexidade emocional. Um passeio por frestas abertas para conhecer melhor todos aqueles que matamos em nós, desengavetando lembranças esquecidas, desnudando as camadas do ser humano, expondo, metaforicamente, na sequência mítica da humanidade, como nos tornamos assassinos do outro. 

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
As pessoas que matamos ao longo da vida
Autor: Tamiris Volcean 
Editora: Reformatório
ISBN: 978-85-66887-25-9
Idioma: Português
Altura: 21 cm
Largura: 14 cm
Edição: 1ª
Ano de Lançamento: 2016
Número de páginas: 160

Clique neste link para conhecer o prazo de entrega e outros detalhes da Banca Tatuí.

 

As pessoas que matamos ao longo da vida

R$35,00
As pessoas que matamos ao longo da vida R$35,00
Entregas para o CEP:

Meios de envio

  • Sala Tatuí Por causa da pandemia do coronavírus, a Banca Tatuí está fechada. De toda forma, pedidos podem ser retirados na Sala Tatuí, que fica em frente à Banca Tatuí, na Santa Cecília. O horário para retirada será combinado por telefone. A equipe Tatuí entrará em contato!

    Grátis

Quantas pessoas matamos desde que aprendemos o real significado das relações interpessoais? A morte e suas mil e uma faces pode surpreender. Mestre em disfarces, nem sempre caminha ao nosso lado acompanhada de sangue, caixões e cinerários.  

O percurso, que se inicia na carne, passando pela mente e encerrando na alma, uma trajetória de pedras que calejam as plantas dos pés, obrigando-nos a admitir todos aqueles que outrora deixamos para trás. Cada partida, física ou espiritual, despedida, abandono ou descaso social, é uma forma de matar o outro. E quando essas mortes acontecem, engavetamos aquilo que sentimos e lutamos, incansavelmente, para adensar o lixo que preenche os abismos do nosso ser. A morte ocidental, aliás, sugere engavetar pessoas, quando as colocamos em caixões sob a terra... 

Este livro é um convite para lidar com sentimentos encobertos por nossa consciência dualística, que nos separa em bons e maus, deixando de lado as convergências responsáveis por nossa complexidade emocional. Um passeio por frestas abertas para conhecer melhor todos aqueles que matamos em nós, desengavetando lembranças esquecidas, desnudando as camadas do ser humano, expondo, metaforicamente, na sequência mítica da humanidade, como nos tornamos assassinos do outro. 

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
As pessoas que matamos ao longo da vida
Autor: Tamiris Volcean 
Editora: Reformatório
ISBN: 978-85-66887-25-9
Idioma: Português
Altura: 21 cm
Largura: 14 cm
Edição: 1ª
Ano de Lançamento: 2016
Número de páginas: 160

Clique neste link para conhecer o prazo de entrega e outros detalhes da Banca Tatuí.